Bem-vindo! Hoje é terça-feira, 22 de outubro de 2019

Assembleia dá início à Consulta Popular de 2018

O desenvolvimento regional alavancado por projetos escolhidos pela comunidade é o mote da Consulta Popular, que começa a ter a edição deste ano desenhada hoje. Uma assembleia, reunindo prefeitos dos municípios abrangidos pelo Conselho Regional de Desenvolvimento da Campanha (Corede Campanha), presidentes das Câmaras de Vereadores, deputados da região e sociedade civil organizada, acontece, hoje, a fim de avaliar a proposta e recursos oferecidos pelo governo. 
O processo da Consulta Popular é desenvolvido, anualmente, em seis etapas, sendo a assembleia de hoje, a primeira delas, a fim de desencadear formalmente o processo da consulta. Este primeiro encontro conta com a presença do coordenador estadual do processo, Teonas Baunhardt. Ele explica que, neste primeiro momento, serão apresentados os valores e a metodologia de distribuição de recursos por Coredes. “Priorizamos as regiões em que há esvaziamento demográfico e PIB decrescente”, aponta.
Além disso, serão escolhidos os integrantes da Comissão Regional, composta por nove integrantes, sendo até três representantes do Estado, três do Corede e três cidadãos, que será responsável por coordenador o processo da consulta deste ano. 
A comissão, junto aos Conselhos Municipais de Desenvolvimento (Comude), também será responsável pela organização das assembleias municipais, que acontecem em todos os municípios de abrangência do Corede. Nestes encontros, cada município escolhe até cinco projetos constantes no Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional.
Baunhardt adianta que retorna em maio, para as assembleias regionais ampliadas, onde serão estabelecidos os projetos que farão parte da cédula de votação, com no mínimo seis e no máximo 10 projetos. 
A assembleia de hoje acontece às 14h, no teatrinho da Urcamp, e é aberta ao público.

Votação
Neste ano, serão destinados R$ 80 milhões para a Consulta Popular no Rio Grande do Sul. Para a região, serão cerca de R$ 3 milhões, para atender aos projetos definidos como prioritários. A votação será realizada entre os dias 26 e 28 de junho, somente em meio eletrônico, nas modalidades on-line, no site da Consulta Popular, off-line, através de aplicativo desenvolvido pela Procergs, e via mensagem de texto (SMS). 

Projetos de 2017
Em 2017, foram elencados projetos nas área da Saúde, Segurança e Rural. Na área da segurança, com recurso de R$ 894 mil, foi possível atender demandas de Bagé, Caçapava do Sul, Dom Pedrito e Lavras do Sul, com o reaparelhamento da Susepe, Brigada Militar e Corpo de Bombeiros e reposição e renovação de materiais permanentes da Polícia Civil.
Já nos projetos de Regionalização da Saúde e Saúde da Família, foram beneficiados os municípios de Bagé, Dom Pedrito, Caçapava do Sul e Aceguá, com R$ 894 mil. É interessante ressaltar que a reforma e aquisição de equipamentos para o bloco cirúrgico do Hospital Universitário e reforma da Santa Casa foram possíveis através do projeto de regionalização.
Para o setor primário, o apoio ao desenvolvimento da agricultura familiar possibilitou a compra de equipamentos para os municípios de Bagé, Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Hulha Negra e Lavras do Sul.
Estarão aptos a receber os recursos referentes aos projetos eleitos, os municípios que atingirem, no mínimo, os seguintes percentuais de votação: 6% para municípios com até 10 mil eleitores; 5% para municípios entre 10.001 e 40 mil eleitores; para municípios entre 40.001 e 80 mil eleitores, o percentual exigido é de 4%; para os municípios entre 80.001 e 120 mil habitantes o mínimo de eleitores votantes é de 3% e para municípios com mais de 120 mil eleitores, é exigido o número mínimo de 1,5% presentes nas urnas.
A presidente do Corede, reeleita na última semana, Lia Maria Herzer Quintana, ressalta a necessidade de mobilização de todos, para garantir a máxima participação dos eleitores no processo da Consulta Popular. "Como as propostas são articuladas no conjunto das organizações regionais, nada mais apropriado que a população marque presença para a definição das nossas propriedades", ressaltou.