Bem-vindo! Hoje é domingo, 25 de agosto de 2019

Intercom Sul: experiência e conhecimento em uma viagem voltada à Comunicação

Se para muitos o feriadão foi de descanso, para o curso de Jornalismo da Urcamp, os três dias de folga foram transformados em imersão no universo da comunicação e da troca de experiências. Entre professores, acadêmicos e egressos, um grupo saiu de Bagé rumo a Capital Gaúcha para participar do 42º Intercom Sul, que, neste ano, foi sediado na UniRitter. Entre apresentações de trabalho, palestras e visitas técnicas, a mala dos participantes voltou com uma bagagem insubstituível: a do conhecimento.

Alguns momentos foram marcantes, como o encantamento dos estudantes nos prédios visitados. Um dos acadêmicos, Samuel Oliveira, resolveu analisar se a sua digital já estaria cadastrada nos veículos de comunicação e, na hora da despedida, testou o registro de ponto da Gaúcha ZH, RBS TV e Jornal Metro, ficando engraçadamente decepcionado. “É, não foi dessa vez. Quem sabe na próxima”, brincava arrancando gargalhadas dos colegas e professores que já esperavam pela cena que acabou se tornando obrigatória. Quem também deu o que falar foi Alexandre Bastos, do primeiro módulo da Graduação I. Além de sua playlist um tanto quanto cômica, falou em rimas durante toda viagem, sendo, inclusive, desafiado por um funcionário da RBS TV que é conhecido pela excelência com que canta acerca dos mais diversos assuntos.

A saída de Bagé foi às 2 horas da madrugada, de quarta para quinta-feira, e viajar a noite inteira não foi um problema para Yuri Cougo Dias, que às 9 horas já estava preparado para defender o seu tema na categoria ‘Intercom Júnior’. Analisando a maneira como a Zero Hora havia retratado a Copa do Mundo de 2018, o egresso do curso de jornalismo e atual repórter da coluna de esportes do Jornal Minuano, ainda aproveitou o estudo para pensar sobre os desafios do jornalismo impresso em um momento onde as redes sociais têm a informação de forma ágil e conteúdos na íntegra, em tempo real.

Na abertura oficial do evento, o jornalista Felipe Pena roubou a cena quando, em sua palestra ‘A guerra semiótica contemporânea’, trouxe questões sobre a situação do Brasil e o papel da imprensa em todas as circunstâncias. Ao final, ele contou ‘A fábula dos cotovelos invertidos’. A narrativa diz que um jornalista queria conhecer o inferno. Ele ligou para o assessor de imprensa do diabo, e, lá chegando, viu pessoas em excelente estado, todas felizes e cantantes, e que não precisavam trabalhar. Porém, todas tinham os cotovelos invertidos. Portanto, morriam de fome, pois não conseguiam colocar a comida na boca. Ao ficar extremamente assustado com o que visualizou, ligou para o assessor de imprensa do Céu, e subiu. Também, ao adentrar, estavam pessoas nas mesmas circunstâncias: felizes, cantantes e que não precisavam trabalhar. Fez o que todo jornalista e ser humano faria: olhou diretamente para os cotovelos e eles, também, eram invertidos. Porém, a grande diferença para que no céu as pessoas não morressem de fome, é que lá um levava a comida na boca do outro. Ao finalizar a estória, Felipe Pena resume a comunicação: “Essa é a diferença entre o nosso céu e nosso inferno. É preciso levar a comida na boca do outro. É fazer com que essa profissão que escolhemos seja a profissão de solidariedade, de empatia, de ajudar o outro. Fazer com que a reação desse sequestro da cognição pública seja uma reação coletiva (…) Para lutar contra os cortes na educação, contra o machismo, contra a homofobia (…) E para isso a gente tem que estudar, pesquisar, entender como essa cognição pública é sequestrada e ver que estratégia de cognição a gente vai usar”.

 

Pauta: Jornal Minuano

O segundo dia de Intercom Sul iniciou tendo como pauta o Jornal Minuano, mantido pela Fundação Attila Taborda FAT/Urcamp. O periódico bajeense foi objeto de estudo do Coordenador do curso de Jornalismo, professor Glauber Pereira, e da professora Cristiane Pereira, contando, ainda, com a pesquisa voluntária das acadêmicas Vitória Severo e Ketherine Acosta. A dupla deu início não apenas ao cronograma do grupo da Urcamp, como também à sessão três da categoria ‘Divisão Temática de Jornalismo’. Com o tema ‘Jornal Minuano: 25 anos de jornalismo diário no interior do Rio Grande do Sul’, os autores trouxeram o histórico do jornalismo impresso, destacando, ainda, essa categoria no interior. Abordaram, também, as mudanças como diagramação, estrutura de capa e logotipo do Minuano, além de fatos importantes, como o de ser o primeiro jornal online da cidade, em 2009, quando não se considerava tanto as redes sociais, e a trajetória deste percurso para que hoje tenha um site com mais de 200 mil acessos mensais.

Porém, o que mais chamou a atenção de quem assistia à apresentação, foi quando os professores contaram que o Jornal Minuano é, também, o laboratório de práticas do curso de Jornalismo. No final dos três trabalhos apresentados na primeira parte da manhã, os autores da Urcamp e outros dois, de outras Instituições, iniciaram a mesa de debate acerca das considerações dos presentes. Abismados e encantados, quando abriram para questionamentos, todas as perguntas foram destinadas à Glauber e Cristiane, em sua grande maioria sobre como funcionava o laboratório dentro de um jornal real, que atende a comunidade de Bagé e região. Ao final, a opinião era unânime: a Urcamp estava de parabéns não apenas por ter um jornal, mas, principalmente, pelo incentivo que oferece aos alunos do curso de jornalismo. O último trabalho apresentado foi do egresso Renan Silveira, com o tema ‘Para entender a hegemonia Grenal: o papel da televisão no agravo da desigualdade entre clubes gaúchos’, na categoria Intercom Júnior.

 

Visitas Técnicas

Gaúcha ZH. RBS TV. Jornal Metro. Rádio Guaíba. Casa de Cultura Mário Quintana. Esses foram os ambientes que encantaram os olhos e a imaginação dos futuros jornalistas. Passeando pela redação integrada, visualizando o funcionamento dos grandes estúdios de TV e rádio, e analisando um jornal que foge de todos os padrões, os acadêmicos realizaram as visitas técnicas e colocaram na mala não apenas os livros que compraram Saraiva, mas também um conhecimento adquirido através da prática e do exemplo.

Na redação integrada da Gaúcha ZH, o espanto: mais de 200 profissionais circulam diariamente em um espaço cheio de televisores, computadores, mesas e duas sirenes que tocam quando é necessário fazer silêncio para as gravações. Já nos corredores, rádios para todos os gostos e estilos, e aquele sentimento de pegar um microfone e entrar ao vivo, com certeza foi uma das coisas que passou pela mente dos estudantes. Já na RBS TV, o encantamento com a principal mídia de massa do estado. A descoberta do funcionamento dos telejornais, os passeios pelos ambientes de edição, criação e redação, e um cenário perfeito para as fotografias: o estúdio que agrega o Jornal do Almoço e o Globo Esporte.

Depois que a turma chegou à conclusão que aquela teria sido a melhor de todas as experiências, algo ainda estava reservado para surpreendê-los: O Jornal Metro. O Metro é um jornal impresso que foge de todos os padrões já estudados pelos acadêmicos da Urcamp. Maicon Bock abriu a redação, no meio do feriadão, apenas para receber a equipe de visitantes. Por lá, o editor-executivo explicou o funcionamento deste jornal que, baseado na TV aberta, rádio e internet, não cobra assinatura. Por lá, o jornal se paga com anúncios e campanhas publicitárias, e esse também é um de seus grandes diferenciais, já que o jornal se adapta facilmente. Já imaginaram receber um jornal dentro de uma caixa de ovo? Pois em seu dia mundial, foi assim que os leitores tiveram acesso ao periódico. A apresentação virou um debate de curiosidades e a despedida foi selada com um convite para que Maicon compareça à Urcamp para uma conversa com os acadêmicos que não puderam se fazer presentes no Intercom.

O último dia de visitas técnicas foi no sábado, com um passeio pelo Museu Hipólito José da Costa, Casa de Cultura Mário Quintana, e, para a surpresa de todos, foram recebidos na bancada da Rádio Guaíba, na presença de Nando Gross, que estava em transmissão para todo estado. A conversa com os acadêmicos foi ouvida aqui em Bagé, através da rádio Difusora, que estava sintonizada com a Guaíba.

O Intercom acabou, mas a troca de fotografias, vídeos, experiências, conhecimentos e gargalhadas ainda estão acontecendo no grupo de WhatsApp da viagem. Por lá, já fica a promessa de que, para a edição de 2020, todos já estão, desde agora, com a mala pronta.