Bem vindo! Hoje é quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Alunos do Coral de Libras do Bidart emocionam colaboradores da Urcamp

Dezembro é o mês do espírito natalino, e a celebração já iniciou no saguão do prédio Central da Urcamp. Na manhã desta segunda-feira, 17, os alunos do Coral de Libras da Fundação Bidart fizeram uma apresentação aos colaboradores da Instituição de Ensino, tendo como principal objetivo o agradecimento à acolhida dos estudantes do pré ao nono ano da escola, que tiveram suas aulas transferidas para o campus Corujão no ano de 2018.

 

Foi emocionante ouvir e ver a canção natalina interpretada pela cantora Carla Daníres junto aos alunos da Fundação Bidart, ao pé da árvore de Natal da Urcamp. À frente dos pequenos, a intérprete conduziu os gestos de Libras para o grupo do Coral, onde dois são surdos. A Reitora da Instituição e Presidente da Fundação Attila Taborda, professora Lia Maria Herzer Quintana, assistiu à apresentação e mais uma vez recebeu as palavras de agradecimento da Diretora do Bidart, professora Alberes Ferreira Siqueira, que, emocionada, falou sobre a importância da escola inclusiva e da inclusão que a Urcamp proporcionou aos seus estudantes. Para a reitora, que na semana passada interrompeu sua agenda para receber os pequenos da pré-escola, a Urcamp cumpre o seu papel enquanto comunitária. “As portas da nossa instituição estão sempre abertas”.

 

Ao todo, são nove alunos surdos no Bidart, Fundação que possui o título de única escola inclusiva de Bagé e região. “Estamos nos tornando um polo para os surdos enquanto escola e investimos no coral, em teatro; o nosso time de professores e intérpretes faz e é a própria inclusão”, comenta a Diretora ao destacar que a Fundação oferece aulas regulares de Libras a cada 15 dias para todas as turmas, e que para o primeiro, segundo e terceiro anos, essa disciplina já faz parte do currículo por serem parte do turno integral. “Na escola Bidart, ninguém é igual a ninguém. Essa já é a nossa característica. Mas é gratificante ver a interação entre os próprios alunos. Todo mundo sabe os sinais básicos, e são em situações como estas, que já percebemos essa inclusão de fato acontecendo. Os professores olham no olho dos surdos”.

 

E por falar em inclusão, em decorrência das reformas na escola, os alunos foram acolhidos no Campus Corujão. De agosto a dezembro, os estudantes do Fundamental puderam vivenciar os corredores e laboratórios do Ensino Superior, fato que serviu, também, como fator importantíssimo para despertar a curiosidade e ampliar o conhecimento de mais de 200 crianças e adolescentes. De acordo com a Diretora, a receptividade da Urcamp incluiu cada um de seus alunos. “Eles estiveram imersos no cotidiano da Instituição; além de abrir a mente, é emocionante ver a inclusão acontecendo de verdade. Para os surdos, um ‘oi’ em Libras já muda o dia deles. Para eles é importantíssimo e foi exatamente isso que encontramos na Urcamp. Meu agradecimento especial às três pessoas que foram fundamentais nesta acolhida: Reitora Lia Quintana, professora Isabel Leães e Carlos Thompson Flores. O coral de hoje é uma das maneiras de dizer muito obrigada à Urcamp e a estes três nomes”, conclui emocionada ao revelar que amanhã, 18, duas alunas surdas concluem o nono ano. A formatura será à noite, no Teatrinho da Urcamp.